Uma história de catfishing que deu certo… por sorte

catfish
(Imagem: TheSun)

Vou contar para vocês uma história real que aconteceu na Inglaterra e que eu li faz duas semanas no site The Atlantic, junto com os meus comentários.

Senta que lá vem história.

Emma é uma moça francesa que mora em Londres e tinha terminado um relacionamento sério faz um tempo. Cansada de ficar sozinha e sem ter um círculo social grande (afinal, já estava fora da escola/faculdade), ela decidiu baixar o aplicativo de relacionamento Zoosk. Como a gente sabe, existem vários aplicativos de relacionamento, e geralmente eles possuem uma “fama” que pode ser de ser para relacionamentos sérios ou de pegação. Zoosk, com um anel em seu logo, indicava obviamente que era para compromissos sérios, justamente o que Emma queria. Maravilha.

Em pouco tempo, ela começou a conversar com um homem que mora a 160km dela. Seu nome é Ronnie, tem 34 anos e é decorador. Tudo estava indo ótimo, o cara era bem bonito – aliás, parecia um modelo – e eles conversavam todos os dias. A moça, que tinha se mudado para Londres fazia não muito tempo, estava longe de todos os seus familiares e conversava com sua irmã pela internet. As duas fofocavam sobre o cara todos os dias e sobre como ela estava ansiosa para encontrá-lo.

O problema é que Ronnie estava sempre ocupado. Sempre. Nunca podia encontrá-la. Ele às vezes mandava fotos novas, mas meses se passaram e nada de conversar nem por vídeo. Eles já estavam bem próximos, e a conversa era bem íntima – eles estavam em um relacionamento. Eles faziam planos, só que Ronnie nunca colocava uma data neles. Emma estava começando a ficar frustrada, pois todas as suas tentativas de encontrá-lo falhavam. Ele sempre estava ou no trabalho (aparentemente trabalhando 24 horas por dia) ou fora do país, longe, etc.

No meio tempo, Emma mudou de emprego, e falou sobre seu relacionamento à longa-distância. Aparentemente, isso deixou um colega curioso, que perguntou mais detalhes e enfim falou que Ronnie não queria vê-la, e que talvez o Ronnie nem fosse o Ronnie. Ele sugeriu que ela fizesse uma pesquisa reversa de imagem, para ver se o cara era real mesmo. Mas ela não queria escutar, ela tinha certeza que tudo ia ficar bem.

Seis meses já nessa enrolação, tudo o que Emma tinha era o número do Whatsapp de Ronnie e suas fotos. Foi depois disso que sua família pediu para que ela cortasse todo o contato com seu namorado virtual. Novamente, Emma estava relutante. No entanto, ela finalmente decidiu usar a pesquisa reversa de imagem na sua foto favorita de Ronnie, e decobriu que as fotos estavam linkadas a um perfil de um modelo turco, Adem Guzel.

Confusa, Emma decidiu perguntar sobre Adem para Ronnie. Ele prontamente disse que era ele, e que era um nome que ele usava no passado. Emma começou a fazer pressão para vê-lo na câmera, e ele dizia que chat em vídeo “era coisa para crianças”. E a enrolação continuava…

Mais um tempo passou-se. Eles já estavam nesse relacionamento virtual por quase um ano quando Ronnie teve um problema em seu computador. Ao mandar sua primeira mensagem para Emma em um outro computador seu nome era outro: Alan Stanley. Emma perguntou sobre o nome, e Ronnie falou que comprou um computador usado, e por isso o nome estranho. Isso obviamente criou mais dúvidas na cabeça de Emma, que começou sua investigação.

Um pouco tempo depois, Ronnie mandou uma foto de um aquário para Emma, que prontamente decidiu usar a pesquisa reversa. Mais um erro de “Ronnie”: Emma descobriu que a foto tinha sido postada na conta do TripAdvisor de… Alan S.

Emma começou a pesquisar sobre Alan Stanley usando o email que aparecia junto com o nome “novo” no perfil de Ronnie. Ao procurar o email de Alan no google, ela conseguiu descobrir diversas informações, incluindo fotos. E Alan definitivamente não era Ronnie: Alan era um senhor quase da idade do pai de Emma. Ao ser questionado mais uma vez, o homem ainda tentou negar a mentira, mas já era tarde demais. Ele era Alan, e depois disso tudo ele teve de admitir a si mesmo que não podia mais mentir: mandou uma foto real de si mesmo, um senhor de cinquenta e poucos anos que já estava ficando calvo.

Emma ficou devastada. Porém, ela já havia criado um vínculo com Ronnie Alan, e eles continuaram trocando mensagens por um tempo. Ela queria conhecê-lo e saber o motivo dessas mentiras. A moça também entrou em contato com o modelo verdadeiro, Adem, para avisar que suas fotos estavam sendo usadas por uma outra pessoa. Foi um simples e curto aviso, que no entanto criou um vínculo entre Emma e o verdadeiro Adem.

O modelo respondeu sua mensagem. Mas dessa vez Emma foi esperta: pouco tempo depois de conversar por texto com Adem, ela quis conversar por vídeo, e este, ao contrário de “Ronnie”, aceitou o convite. Era ele mesmo, o homem das fotos. Daí nasceu uma amizade, que depois de um tempo se tornaria um romance.

Quanto à Alan, Emma ainda queria saber o motivo de ele fazer tudo isso com ela e queria um pedido de desculpas pessoalmente. E então eles finalmente tiveram o encontro que a moça tentava ter faz mais de um ano com o homem. Alan parecia que ainda via esperança no relacionamento dos dois, mas Emma não pensava o mesmo. Após mais um tempo de conversa e alguns encontros amigáveis, suas mensagens começaram a diminuir até cessarem.

A história de Alan? Um homem recém-divorciado e com a auto-estima baixa. Isso é desculpa para usar a foto dos outros e enganar Emma? Não. Diz ele que não tinha coragem de se apresentar, por isso usou a foto de outro homem. Aliás, Emma não foi a primeira a ser enganada por Alan. Isto é, não foi apenas um problema de auto-estima, e sim um ato repetitivo de enganar mulheres online. Alan chegou a ter que mudar de cidade por causa de todas as críticas que recebeu.

Emma e Adem estão felizes e juntos até hoje, e um detalhe: ao contrário de “Ronnie”, Adem prontamente foi visitar Emma. Como ainda (espero que seja apenas um ainda) não estão casados, Adem só pode ficar na Inglaterra por 6 meses de cada vez. Mas a questão é: em todo o momento que ele pode, ele está lá com a sua namorada. ❤

E o que podemos aprender com essa história?

-Emma teve um final feliz. No entanto, nem sempre é assim. Ela foi é muito sortuda.

-Alan poderia ser mais perturbado do que um cara apenas fingindo ser outro. Ele poderia ser um pervertido. Ele poderia ter feito algo com ela quando eles se encontraram pessoalmente. Claro, ela tomou precauções, como encontrar Alan em público. No entanto, lembre-se que a curiosidade matou o gato. Se alguém fingiu ser outra pessoa para falar com você, talvez a melhor tática seja bloquear essa pessoa e não entrar nunca mais em contato com ela. Se ela te enganou uma vez, quem vai lhe garantir que ela não vai tentar enganar uma segunda vez?

-Não existem motivos para alguém não usar a câmera do celular ou do computador para te ver. Se a pessoa gosta de você, ela vai querer te ver ao vivo. Se a pessoa não quiser te ver, das duas uma: ou a pessoa não gosta de você tanto assim quanto você pensa e está apenas te usando como um passatempo, ou a pessoa não é quem ela diz ser. Ou as duas explicações juntas. Veja a pessoa na câmera o mais cedo possível.

Investigue. Sério mesmo. Mesmo se a pessoa for fisicamente quem ela diz ser, ela pode não fazer o que diz fazer, e pode ser alguém completamente diferente de quem você pensa que ela é. A gente investiga sem ser online também, a única diferença é que vem naturalmente: conhecendo os amigos da pessoa e os lugares que ela frequenta, a gente descobre quem ela é. Em relacionamentos à distância, o google (e a pesquisa reversa de imagens) ajuda. Estou dizendo para fazer isso apenas no começo do relacionamento, por medida de precaução. Você não pode abrir a sua casa para uma pessoa completamente desconhecida, ou viajar para ver uma pessoa que você não tem a mínima ideia se é real ou não. Bom, poder você pode, mas não recomendo.

-Se uma pessoa que mora longe de você tem interesse em você, planos são parte do relacionamento. Se não existe um plano para vocês se verem desde bem cedo no relacionamento, este deve ser questionado. E, se planos para o futuro não aparecerem depois de um tempo, pergunte-se a si mesmo se existe futuro nisso ou não.

Se tiver uma história legal ou alguma dúvida, manda pra cá!

Beijos, e até a próxima 😉
Paula
Paula Explica

 

 

 

 

 

 

Advertisements
This entry was posted in Amor na Era Digital, notícias / fofoca and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s